terça-feira, março 16, 2010


Desentendimentos ( parte 4 )



A semana se passou, rápida e calma demais, sem grandes acontecimentos.
Gabi dividia seu tempo entre os amigos e seu novo amor, fazia isso muito bem levando em consideração o fator tempo. As horas pareciam minutos, tudo acontecia muito rápido, e quando percebia mais um dia se fora...
O "triângulo" conviveu bem, Edu estava sendo mais bonzinho que o normal, mas nem precisava de tanto, já tinha os dois em suas mãos.
Sábado, ele resolveu dar uma festa para "meninos" e convidou Fred. Seu primeiro planinho causador de intrigas. Na hora certa ligaria para Gabi.
Bebidas, música alta, garotos, baralho, farra...
Jogavam truco, depois partiram para o "vira", mas como a idéia principal era embebedar Fred, Edu não participaria dessa parte, ficaria como "juiz". Deu certo, em menos de uma hora todos os garotos estavam bêbados, menos o anfitrião, claro.
A idéia surgiria dele, mas o alcool estava fazendo tanto efeito nos hormônios dos garotos que um deles sugeriu:
- Edu, ligaê pras muié que a gente ta pro crime! hahahahaha - não faltavam risos em toda e qualquer coisa que diziam.
- Acho melhor não, cara... Sinto que isso não vai acabar bem! - rebateu Fred, quando sua consciência acusou, definitivamente estava caindo de amores por Gabi.
- Deixa de ser pau-mandado, só porque encontrou um amorzinho vai vacilar com os mano? E além do mais, ela vai embora daqui a uns dias, desencana! Vamos começar agora a farra de verdade! - disse outro dos garotos, indignado com o amigo.
- Eu não estou sendo nada disso! Por que eu respeito a garota que eu amo agora eu sou vacilão? Como vocês são legais...
- Ama? Em uma semana você já escolheu uma mulher pra casar? HAHAHAHAHAHA. Sai dessa Fred, você não era assim, o que ela andou te dando? Tá chapadão mesmo mano!
- Chega! Eu não dei uma festa pra vocês ficarem discutindo. Somos todos amigos, se ele não quer outra mulher, tem quem queira, afinal, estamos para o crime né rapaziada!? - Edu estava conseguindo o que queria, Fred nem precisaria trair ela, conhecia a amiga suficientemente bem pra saber que o simples fato de ter mulheres onde deveria ter apenas homens o incriminaria, deixaria tudo por conta dos outros, ainda sairia como vítma da história, quem iria provar o contrário?
- Eu liguei pra uma doida aí, ela vai trazer a "tropa", preparados!??? É hoje que a gente se diverte pra valer! - outro dos meninos já havia ligado, em breve Gabi seria "avisada"...
Algum tempo depois elas apareceram. Vulgarmente vestidas, era pra isso que elas serviam, diversão.
Enquanto sóbrios eles jamais ligariam para elas, mas quando se está bêbado qualquer coisa pode acontecer, Fred não viu malícia em ficar lá, afinal, ficaria com seu "amigo" sóbrio, que também não ia pegar ninguém, mas não sabia das estratégias...
Enquanto escapou por uns minutos de Fred, Edu ligou para Gabi, não iria fazer a denuncia assim por telefone, seria explícito demais, bastaria que ela ouvisse alguma voz de mulher, ela tiraria suas próprias conclusões. Dito e feito!
- Eduardo Rodrigues de Melo, que vozes são essas que eu estou ouvindo? - a voz era grave, nem parecia a Gabi...
- Vo-vo-zes? Que vozes? São os meninos! - gaguejar fazia parte da estratégia "engana-Gabi".
- Você por acaso acha que eu sou idiota? O que está acontecendo aí? Não vou perguntar duas vezes, e se você não responder vai sobrar pra você!
- Eu não queria dedurar os meninos assim, maninha... Mas me senti na obrigação de te ligar, fiquei sem coragem de dizer, ainda bem que você ouviu, eles chamaram mulheres, e eu não pude fazer nada! E agora, o que eu faço? Elas acabaram de chegar... - estava feito!
- Estou indo aí, AGORA! Me espere no portão!
E assim ele fez...
Antes deu uma espiada em Fred, estava próximo o suficiente de todos, visto de fora parecia fazer parte de tudo. Ainda não havia começado a "farra", estavam todos conversando, ou pelo menos chamavam aquilo de conversa... Muito alcool no sangue, só o que ouviam eram risos e asneiras, por sorte as mulheres eram suficientemente burras para entrarem no espírito da coisa, ainda tinha bebida, juntaram-se ao grupo.
Ela chegou rápido demais, estava realmente brava, olhou para Edu de uma forma tão brutal que se ele não fosse tão ruim teria ficado com medo, mas aquele olhar o agradava, por dentro estourava de satisfação, tinha conseguido!
Ela não era barraqueira, achava isso muito baixo para o seu perfil...
Chegou sorrateiramente, sentou-se ao lado de Fred e disse:
- Tudo muito calmo por aqui, não? Ainda bem que só tem GAROTOS!
- Gabi, como, onde, quando... É... Eu posso explicar, não tenho nada a ver com...
- Chega Frederico! Pra mim chega! Eu não me envolvi com você pra isso... Tudo bem, a gente não tem nada sério, eu entendo, mas depois de tudo que você me disse, como você pode fazer isso comigo? Acha que eu sou da laia dessas... dessas... 
- Não! Eu não estou fazendo nada! Elas apareceram aqui amor... E o que você veio fazer aqui? Não confia mesmo em mim?
- Amor? Apareceram? Claro, elas vieram da lâmpada mágica, não foi culpa sua. Confiar? Eu confiei, ainda bem que tenho um amigo de verdade, que se preocupou comigo apesar de não ter tido coragem suficiente para dedurar você! Enfim... Não interessa o que eu vim fazer aqui! E olha só, está caindo de bêbado, nem sabe o que está dizendo! Quer saber? Não me importo... Faça o que você quiser, só não me procure mais!
- Eu não queria causar isso, meu Deus, o que foi que eu fiz!? Eu só queria dar Boa Noite pra minha irmãzinha e olha só o que aconteceu! - a inocência das palavras de Edu era espantosa, ninguém que ouvisse teria dúvidas. Mas era tudo muito ensaiado, minuciosamente planejado. Uma cobra astuta, sim, ele era!
- Não foi culpa sua Du, pelo menos eu sei em quem posso confiar de verdade! - doce ilusão... Ela se arrependeria amargamente de ter dito isso.
Gabi saiu ainda mais rápido do que chegou, e deixou tudo muito abalado... Fred estava em estado de choque, o alcool agia, tudo parecia um sonho, talvez só no outro dia iria saber exatamente o que tinha acontecido, ou não... Os garotos não viram, nem ouviram nada, absortos em suas "conversas construtivas", só sabiam farrear.
Dez minutos depois, Fred estava dormindo, sentado, no mesmo lugar onde estava o tempo todo...
Os outros fizeram suas "festinhas particulares" e foram embora junto com as mulheres, já bêbadas.
Edu estava satisfeito. Sabia que o amigo não iria deixar as coisas assim, mas já era um bom começo, primeira briga feia, Gabi não aguentaria muito.
Naquela noite dormiu sorrindo, maleficamente sorrindo...



Para entender tudo, leia também (se ainda não leu)...


1- O começo
2- Reencontro
3- O vilão
8

8 comentários:

Ju Fuzetto disse...

Aiiiiiiii eu tô adorando!!
beijossssssssssssssss

Borblady disse...

parece um daqueles livros que nos chama a atençao e nao nos deixa ir embora sem o acabar de ler . ao ler imaginava a historia na minha cabeça, como se estivesse a ver uma novela ou um filme :O omg está mesmo fantastico !

Jheniffer Luana disse...

Ainnn da muitoo legal a historia so não gostei desse eduu ;x,,,
mais sempre tem um na vida da gente ne ;s
;**

Mariana Leal disse...

estou viciando UHSAUSUH esse Edu tambem não vale nada :O

Rebeca Amaral disse...

Ain tá muito emocionante!

Tiabetok disse...

BELAAAAAAAA...
quando sai o livro????
quero o meu autografado!!!!!
bjos flor
amo vim aqui

Yves disse...

Adorei a estrutura do texto
Voce tem talento pra romance ou novela, ficou pouco de cada.
Pra saber qual dos dois estilos eh, eh soh esperar o fim da historia :P
;* blogueira :D

Dri Viaro disse...

muito legal

bjss

Postar um comentário

E aí, o que achou do texto? Seja sempre bem vindo(a) e volte sempre! ;* <3